Para que não esqueçamos, para que jamais se repita - Juventude Petista do RN

Semana 13

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Para que não esqueçamos, para que jamais se repita

Nota aprovada pela Direção Nacional da JPT dia 01 de abril de 2012


Para que não esqueçamos, para que jamais se repita


No último dia 01 de abril de 2012 reunimos a Executiva Nacional da Juventude do PT, uma atividade de caráter ordinário, mas que só é possível porque muitos outros dedicaram sua juventude e entregaram suas vidas pelo mais básico de todos os ideais: a liberdade.

Há 48 anos instaurava-se no Brasil um dos mais tenebrosos períodos de nossa história, uma ditadura civil-militar que perseguiu, torturou e assassinou aqueles que discordavam de seus desmandos, que lutavam por uma sociedade igualitária e democrática. Muitos tombaram, mas não em vão. A democracia foi restabelecida no Brasil; conseguimos construir uma Constituição avançada; anos depois levar um trabalhador à Presidência da República; e recentemente uma mulher, que não teve medo de fazer parte dessa luta e ainda menos de resgatar com orgulho seu passado quando, durante a campanha presidencial, forças conservadoras tentaram transformar uma guerreira em criminosa diante do eleitorado.

Muitas conquistas já foram alcançadas, mas os desafios ainda são enormes. Aprovamos a lei que cria a Comissão da Verdade, mas até o momento seus membros não foram indicados e a Comissão possui um caráter ainda limitado no que se refere às nossas demandas. Queremos o resgate da nossa história, que aqueles que cometeram as atrocidades empreendidas pelo Estado brasileiro sejam identificados e punidos.

A Direção Nacional da JPT referenda e parabeniza a participação de nossos companheiros e companheiras nas manifestações pela Memória e pela Verdade, ressaltando as atividades realizadas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em São Paulo, a juventude do PT e o Levante Popular da Juventude foram às ruas demonstrar que não podemos mais aceitar que signos relacionados à ditadura sigam sendo homenageados. Foi realizada uma ação direta que trocou os nomes das placas relacionadas a atores ou eventos políticos do período por nomes de companheiros que foram perseguidos e assassinados pela repressão. No Rio de Janeiro, a   juventude petista, demais juventudes partidárias e movimentos sociais de esquerda fizeram um ato contra a comemoração do golpe de 64 organizada pelo Clube Militar.


Repudiamos a atitude da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que cometeu uma série de abusos contra os manifestantes, agindo de forma truculenta contra jovens que demonstravam pacificamente sua indignação ante a comemoração dos golpistas. Ações como estas demonstram como o autoritarismo ainda está enraizado em nossa sociedade e reforçam a necessidade de mobilização constante para que possamos viver em uma sociedade plenamente democrática.

Para ser coerente com a história de participação da juventude brasileira na luta por grandes causas como “O Petróleo é Nosso”, “As Diretas Já” e tantas outras, é imprescindível que abracemos a campanha pela abertura dos arquivos da ditadura e pelo julgamento dos torturadores com a revisão da Lei da Anistia. Isso seria, inclusive, um grande ato de justiça da atual geração para com as gerações que antecederam e lutaram para o Brasil ser um país aberto em possibilidades como é hoje em dia. Para além da justiça, que nada tem a ver com "revanchismo", é assim que extirparemos os resquícios autoritários ainda presentes em parcela da população.

Todo jovem deste país deve saber o que foi, para quê, quem e como foi; envergonhar-se deste período e repudiar qualquer menção positiva, amenizadora ou que tome como exemplo político a ditadura. Temos a chance de promover a efetiva reconciliação da nação através da atual geração, semeando os valores e representações democráticas.

Neste sentido a Direção Nacional da JPT convoca os jovens petistas para uma intensa mobilização na luta pela Comissão da Verdade, pela abertura de todos os arquivos da ditadura e contra a repressão dos movimentos sociais.

Direção Nacional da Juventude do PT
Coordenação Nacional de Direitos Humanos da JPT

Nenhum comentário:

Postar um comentário